RALACOCO -  Rádio Laboratório de Comunicação Comunitária

Read more about ..

Sem categoria by coletivo 0 Comments


A foto anterior e esta são da Oficina de Rádio que a Ralacoco realizou no Varjão com a Galera de Comunicação Comunitária durante a II Semana Nacional pela Democratização da Comunicação.
Reunião de Filosofia (2/2004)

Read more about ..

Sem categoria by coletivo 0 Comments


Isso aqui está parecendo mais um fotolog que um blog. Mas, vale a pena, é o álbum de família da Ralacoco.
Reunião de Filosofia (2/2004)

Read more about ..

Sem categoria by coletivo 0 Comments


Aí foi nossa reunião para definir a programação para o segundo semestre de 2004. Pode-se dizer que foi nossa reunião de inauguração do semestre!!!
Reunião de Filosofia (2/2004)

Read more about ..

Sem categoria by coletivo 0 Comments


Essa foto é da reunião de filosofia da rádio que ocorreu no início do semestre. Discutimos os problemas e potencialidades da Ralacoco e tiramos comissões para organizar a rádio.
Reunião de Filosofia (2/2004)

Mais uma oficina da Ralacoco para a lista!

Sem categoria by coletivo 0 Comments

Feira Artístico-Cultural do CEM 06 de Ceilândia escolhe Brasília como tema

Leyberson Lelis



(desculpem-me os muitos vão ser)



DF: Contexto Capital vai ser o tema da primeira Feira Artístico-Cultural do turno noturno do CEM – Centro de Ensino Médio 06 de Ceilândia, que acontece nos dias 28 e 29, a partir das 19h30. Uma das propostas da feira é mostrar aos alunos que o aprendizado não acontece somente dentro de sala de aula. A pesquisa e o lado artístico vão ter destaque no evento. As turmas se dividiram em vários sub-temas e estudantes universitários de Comunicação apoiaram os alunos responsáveis pela parte de mídia com uma oficina sobre Democratização da Comunicação por meio do rádio, jornal e TV.

A feira já acontecia há cinco anos na escola, mas apenas com o nome de feira cultural. “É a primeira vez que se dá o enfoque no caráter artístico. Nós queremos oferecer espaço para alunos destaques em outras inteligências, tais como a sinestésica e a musical, deixando de evidenciar somente os prodígios lógico-matemáticos”, teoriza o diretor da escola, Romero de Almeida.

O tema DF foi divido em sub-temas como trânsito, cerrado, ocupação de terras, monumentos, mídia, rock, imigrantes, entre outros, e vão ser apresentados durante a feira. Juscelino Kubitschek e a própria evolução do CEM 06 também vão ser questões de estudo e pesquisa para os alunos. No dia 28, as apresentações vão acontecer em sala de aula, que vão ganhar decoração temática. Já no dia 29, as apresentações vão ser no pátio da escola com direito a exposição de trabalhos, música e atividades culturais.

A turma “J”, do 2º ano de ensino médio, está responsável pela área de Mídia e procurou a RALACOCO – Rádio Laboratório de Comunicação Comunitária da UnB, durante um ato cultural na Rodoviária pela Semana Nacional de Democratização da Comunicação, e pediu apoio na pesquisa. Uma oficina foi oferecida para mais de trinta alunos da turma, onde se discutiu o papel da mídia e a possibilidade de se ter uma comunicação mais próxima dos estudantes.

A aluna Gislene Menezes, também do grêmio da escola, levantou na oficina como a mídia retrata Ceilândia nos noticiários. “Eles mostram mais a violência do que qualquer outra coisa. Mas, ela existe mesmo e é, muitas vezes, culpa da gente, da nossa própria falta de cultura”, disse. Já a jornalista recém-formada, Flávia Azevedo, que ajudou a dar a oficina, sugeriu que “se é possível voltar a realidade dos meios de comunicação para a realidade de Ceilândia”. Segundo ela, o primeiro passo seria a iniciativa dos alunos em fazer a sua própria comunicação.

Depois da parte teórica, os alunos se dividiram em grupos e fizeram um plano de trabalho para que se funcione na feira uma rádio-poste, uma cobertura televisiva e que ocorra a distribuição de um jornalzinho. Os alunos também foram auxiliados de como agir em uma entrevista, já que, como parte do trabalho, vão entrevistar o deputado distrital Paulo Tadeu. Alguns membros da turma pretendem dar continuidade, pelo menos, a rádio-poste e já estão se correndo atrás de apoios e informações sobre as necessidades técnicas e burocráticas de se viabilizar a proposta. “E se conseguirmos, queremos expandir a participação para toda a escola”, completa Gislene.

Serviço: CEM 06 de Ceilândia – QNP 16 Área Especial – PSUL – 376 – 7978

Começa disputa pelo DCE da UnB

Sem categoria by coletivo 0 Comments

A eleição para o diretório terá quatro chapas concorrentes

e a corrida pela representação discente, cinco

KELLY COUTO

ACS/UnB

A eleição para o Diretório Central de Estudantes (DCE) Honestino Guimarães da Universidade de Brasília (UnB) será nos dias 27 e 28 de outubro. As quatro chapas inscritas até segunda-feira, dia 11 (veja quadro), terão entre os dias 12 e 26 para fazerem campanha. Todos os alunos da UnB poderão votar (graduação e pós), desde que estejam matriculados. A eleição é anual e as chapas concorrem para a terceira gestão após a reabertura do DCE (em 2001, a greve de quatro meses foi responsável pela reabertura do diretório, fechado durante a ditadura militar). “As urnas serão colocadas nos principais pontos da universidade, como no Instituto Central de Ciências (ICC) e Faculdades”, explica um dos membros da Comissão Eleitoral e aluno do 6° semestre de Antropologia, Bernardo Heurich Perondi.

CANDIDATURAS AO DCE E À RD

Chapa 1

Pra não deixar virar privada, oposição a atual gestão

Chapa 2

AME – Autonomia do Movimento Estudantil

Chapa 3

É hora de mudar

Chapa 4

Caminhada – Saber querer para poder chegar

CANDIDATURA À RD

Chapa 5

AJR – Aliança da Juventude Revolucionária

Em 2004 as eleições correrão de forma diferente do que sempre acontece. Tradicionalmente a representação discente (RD) na universidade é feita pelo DCE, responsável por indicar integrantes para os conselhos gestores da instituição (oito para o Conselho Universitário – Consuni -, oito para o Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão – CEPE – e três para o Conselho de Administração – CAD). A partir de agora, serão duas eleições separadas e com regras diferentes (veja quadro): uma para o DCE e outra para a representação discente. Apesar disso, cada chapa que concorre ao diretório também tem o direito de disputar a RD, mas não necessariamente o vencedor de uma ganhará também a outra.

REGRAS PARA A ELEIÇÃO

DCE – Vence a chapa mais votada entre os estudantes.

RD – Será formada proporcionalmente pela votação de todas as chapas, reunindo integrantes de todas as que receberem votos. Por exemplo: se a chapa Y tiver 45% dos votos totais, terá 45% das 19 vagas disponíveis para a representação discente nos conselhos gestores. Assim acontecerá com todas as chapas concorrentes.

As quatro chapas candidatas à diretoria do DCE formaram aliança para tentar vencer a disputa pela RD. Contra elas existe ainda uma quinta chapa concorrente, que disputará apenas a representação e não o diretório. Segundo Perondi, os estudantes do quinto grupo não conseguiram reunir os documentos exigidos para a candidatura ao DCE. Durante a reunião da Comissão Eleitoral, dia 13 de outubro, foram marcados os debates: dois para os candidatos ao DCE e um para representantes dos alunos. Todos serão abertos para que qualquer estudante possa acompanhar todas as propostas.

SERVIÇO

1º debate: segunda-feira, 18 de outubro, às 19h

Local: Anfiteatro 11, ICC Norte

2º debate: quinta-feira, 21 de outubro, às 12h

Local: Anfiteatro 11, ICC Norte

3º debate: terça-feira, 26 de outubro, às 12h

Local: RU ou Ceubinho (não confirmado)

As eleições serão nos dias 27 e 28 de outubro

Digitalizando o debate DCE/UnB

Sem categoria by coletivo 0 Comments

Moçada raladeira,

O Leyberson, mancebo de grande valia, vai trazer o programa de computador que vai nos permitir digitalizar nossos programas – transformá-los em MP3 e assim eternizá-los.

Essa é a boa notícia.

A outra, que não é má, é que eu gravei o primeiro debate nas eleições do DCE da UnB (em fita K7), que aconteceu na última terça-feira. Agora, precisamos de voluntários para transmiti-lo, no horário que puderem.

O único aperto é que precisa ser antes da próxima terça-feira, 26/10, quando acontece o segundo debate. Precisa ser também antes das eleições, que acontecem na quarta 27/10 e quinta 28/10.

Quem se dispor a ajudar, seja digitalizando seja tocando as fitas, manda uma mensagem ou me liguem – 307-1677 ou 9283-6108.

abração, manu

FBI retira do ar servidor do CMI

Sem categoria by coletivo 0 Comments


RELEASE URGENTE > >

Servidor do Centro de Mídia Independente (CMI) é retirado do ar pelo FBI

Na manhã de ontem, 7 de outubro, um servidor que hospedava mais de vinte sites da rede Centro de Mídia Independente em Londres foi apreendido pelo FBI. Entre os sites que saíram do ar está o site CMI Brasil, que recebia cerca de 10 mil acessos diários e conta com coletivos locais em mais de dez cidades brasileiras.

O Centro de Mídia Independente (CMI) é uma rede de notícias ligada a movimentos sociais que nasceu com os protestos contra a OMC em Seattle em 1999, e chegou ao Brasil em 2000. O site do Brasil já voltou ao ar, em outro servidor (http://www.midiaindependente.org). Leia mais nesse site.

é isso aí,

Manu

ps: mail encaminhado pela JuPagu à lista Radiolivre. (radiolivre.org)

II Semana Nacional pela Democratização da Comunicação no DF

Sem categoria by coletivo 0 Comments
A constituição diz que a comunicação no Brasil deveria ser formada de maneira complementar pelos sistemas público, estatal e privado. No entanto, os principais veículos de comunicação do País estão nas mãos de menos de 10 empresas que gerem estes meios orientados pelo lucro. Este tipo de sistema acaba gerando uma participação pífia das representações da sociedade na tela e no auto-falante e nos espaços que definem o que é veiculado nestas mídias.

Para colocar na roda este problema, a Executiva Nacional dos Estudantes de Comunicação Social –Enecos criou no ano passado a Semana Nacional pela Democratização da Comunicação com referência no dia 17 de outubro – Dia Internacional da Democracia na Mídia. Este ano aqui no DF, a semana está sendo organizada com o apoio de outras entidades como o Intervozes – Coletivo Brasil de Comunicação Social (www.intervozes.org.br) , o Centro de Mídia Independente (www.midiaindependente.org) , o Sindicato dos Jornalistas e da Rádio Laboratório de Comunicação Comunitária na UnB, RALACOCO FM. Na programação estão previstos atos, oficinas e debates no Plano Piloto e em cidades satélites.

A primeira ação foi a realização do debate “A mídia e os movimentos sociais”. O evento foi transmitido ao vivo pela TV comunitária e teve a participação da militante da Marcha Mundial de Mulheres Sarah de Roure, do membro da Coordenação Nacional do MST João Paulo Rodrigues, do professor e militante do movimento negro Edson Cardoso e da coordenadora do núcleo de mulheres do grupo Estruturação, Joelma Cezário. Integrantes de outros movimentos e entidades estiveram na platéia, enriquecendo o debate com diversos olhares sobre a mídia e sua relação com a política no Brasil.

Nesta sexta-feira, a partir das 18 horas, no palco da Rodoviária do Plano Piloto, o violeiro Chico de Assis e o grupo Mambembrincantes, mostraram aos trabalhadores da capital federal expressões nem sempre valorizadas pelos grandes veículos de comunicação. Além destes eventos, foram realizados durante a semana uma série de oficinas em diversas cidades satélites do DF. No caso da Ralacoco, fizemos uma oficina de radio Comunitária com os estudantes de comunicação comunitária e com os moradores do Varjão no espaço AOPA localizado no Varjão. (Aguardem para breve mais relatos de tal oficina)

Estas atividades se encerram no dia 17 de Outubro, “Dia Internacional pela Democracia na Mídia”. Com atividades ocorrendo na Torre de TV, estão previstas, além das atrações da rodoviária, apresentações de Hip-Hop, Tambor de Crioula, além de uma rádio ao vivo na qual será transmitida programação diversa centrada na discussão sobre a democratização da mídia.

Das 14h às 15h será transmitido um programa sobre o tema produzido pela TV Nacional, Canal 2, emissora pública mantida pela Radiobrás, pelo Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação e pela campanha Quem Financia a Baixaria é Contra a Cidadania. Durante todo o evento na Torre e durante toda a semana, a população será convocada a desligar a TV no domingo no horário de 15h às 16h em protesto contra a má programação na televisão. A intenção do boicote é criar uma reflexão sobre o que passa na TV e sobre quem decide o conteúdo presente na Mídia.

Contatos:

Bráulio Ribeiro (Enecos) – 9987 1635

Jonas Valente (Intervozes) – 9972 1452